Cariocas no Canadá

Translate

terça-feira, 13 de março de 2012

Apenas uma questão de referência


Oi pessoal,tudo bem?
Sei que o momento está difícil para muitos que estão na espera dos pedidos de exames,tenho conversado e lido artigos que colegas brasileiros enviam falando sobre possibilidades de mudanças no processo de imigração.
Infelizmente não tenho respostas para isso,gostaria de ter pois a gente acaba se ligando em algumas pessoas,acompanhando alguns blogs(confesso que hoje só acompanho mesmo esses que tenho em minha lista aqui no blog),mas posso dizer sobre isso que o velho conselho continua de pé:estudem mais o francês e o inglês e mantenham-se informados de prazos e custos para validarem seus diplomas e serem aceitos nas ordens profissionais se esse for o seu caso. Usem esse tempo de espera ao seu favor.
A gente já esteve do outro lado,lógico,e por isso podemos falar sobre isso com a certeza de não estarmos sendo injustos.

Outro ponto antes de entrar no tema que deu título a esse post;continuamos a receber emails de leitores,pessoas bacanas,cheias de dúvidas,umas pesquisam mais,outras nem tanto e acabam por perguntar por questões que já foram abordadas amplamente aqui no blog.
Bom pessoal,o que não está escrito,eu conto sem problemas pois não me custa nada mesmo falar do que lembrar se for ajudar alguém.
Mas.. as vezes recebemos emails, respondemos,nem sempre Marcelo pode responder e gostaria que ficasse claro que não é má vontade dele e muito ao contrário,com a vida que tem levado aquí, acho já incrível que ele peça para que eu envie algum email de leitor para o email pessoal dele,pois,eu sei que ele não vai conseguir responder tão cedo! O que faço é muitas vezes perguntar a ele o que acha,sua opinião quando o assunto for completamente desconhecido para mim(o que raramente acontece)pois estamos sempre muito juntos e sintonizados em tudo o que fazemos em nossas vidas.

Outro dia respondí a uma pessoa e expliquei a situação,mas infelizmente não recebí sequer um obrigada(o).
Venho então pedir que as pessoas que desejam falar somente com ele,não escrevam mais caso não possam ser respondidos por mim.
Não vou assinar por ele.

Bom, agora vamos as ''referências''!

Estou aquí próxima de completar 45 anos muito bem vividos e ainda me surpreendo como estamos sempre aprendendo nessa vida.
A gente vai conhecendo pessoas,desconhecendo outras e confirmando intuições nem sempre positivas sobre elas. Uma coisa interessante do Face que as vezes até cansa,são as mensagens prontas de alguns grupos que faço parte. Outro dia li uma que guardei bem pois é o que tenho visto na vida. Dizia assim:

''Ninguém vai bater mais forte do que a vida.
Não importa o quanto você bate e sim o quanto você aguenta apanhar e continuar lutando;
o quanto pode suportar e seguir em frente.
é assim que se ganha.''

Sylvester Stallone
(Rocky Balboa).

Escreví isso pq acredito ser a base para vencer.

Finalmente ao assunto!
Quando me perguntam que bairro é bom,que escola é boa,vem logo à minha memória aqueles que tenho experimentado ou que amigos em quem confio em suas experiências tenham referido.
O que acontece é que para mim aqueles são bons e outros não.
Fico sempre um pouco receosa de dar certas informações pois isso tudo depende demais de minhas referências,do que já vivemos,do que gostamos e do que não gostamos.
Claro que tem os bairros que vêm aparecendo nos jornais com confusões envolvendo violência,drogas,máfia,escolas que várias pessoas desaprovaram,que conhecemos casos negativos,etc.. mas, excetuando esses casos específicos,vira tudo muito pessoal e que mesmo que eu não queira,é baseado em nossas experiências passadas.

Vejam bem esses exemplos;se vc estudou numa boa escola privada,ou instituto de educação de renome no Brasil e se vc quer algo no mínimo melhor para seu filho,vai procurar algo a partir desse ponto.
Vai ver as razões que gostava de sua escola e vai buscar algo similar ou melhor.
Mas.. se vc estudou numa escola nem tão boa,ou se ia só pra passar de ano,mesmo querendo que seu filho tenha mais do que vc teve,vai ser (provavelmente)menos exigente do que aqueles pais que tiveram mais que vc.
Isso é normal e esperado de uma forma geral.

O mesmo vai servir para a questão da distância do trabalho em relação a sua residencia.
Se pegava ou pega mais de 2 conduções para ir e o mesmo para voltar no final do dia,cansado,sem conforto e ainda com medo de ser assaltado ou coisa pior,vai achar o céu ficar por 40,50 minutos ou até mais dentro de um metrô,um trem,sem medo,sentado e com certo conforto.
Se estou errada,me digam por favor.

Agora,pega um sujeito que ia para o trabalho em 15,20 minutos,pela orla,seja de carro ou de ônibus quando ainda não se sofria assaltos com tanta frequencia nas capitais que se tornaram violentas,ou ainda numa cidade pequena onde não tem tráfego intenso,e diz que agora ele vai demorar quase uma hora para chegar ao trabalho.
Será que vai ficar mesmo satisfeito?
Tipo,será que ele chama isso de qualidade de vida que nem o outro que cortou 1 ou até 2 horas mesmo morando,digamos assim,um pouco mais afastado do centro da cidade? O que são 30 kilometros sem trânsito para se morar bem,como se quer?
Poder chegar em casa ainda com a luz do sol,poder brincar com seus filhos ou ainda simplesmente ir a uma academia,encaixar um curso que há tanto tempo queria fazer e não dava tempo?
Então, por essas e outras eu lembro aqui que TUDO é no final apenas uma questão de referências e não de certos e errados.
Vc tem que saber como é a vida onde pretende morar,tem que saber o que importa mais para vc,se é comércio perto,se é poder ir caminhando para os pontos chave de sua vida,se prefere trem,metrô,ônibus,o que acha tolerável para gastar nos trajetos de ida e vinda do trabalho,escola,curso..
Conheço pessoas que se sentem até ofendidas por nossa família não gostar de banlieues,olha gente, seria o mesmo se a gente escutasse que o bairro que gostamos e escolhemos é velho,ou que tem pixações demais,que tem barulho,engarrafamentos,etc..

Vamos combinar uma coisa? Ficamos cada macaco no seu galho e todo mundo se encontra para fazer festa na floresta depois? O que acham?

Já escutei relatos tristes de amigos que escutaram pq que acabaram de comprar suas casas em locais que ficam a 25,30 kilometros do centro de Montreal.
Sem falar na concorrência que agora virou moda de quando vc vai comprar,onde? Ah...mas eu não gosto assim,eu não gosto de vizinhos,de casas coladas,etc...ok,ok.. cada um gosta de um jeito ou então a inveja está falando mais alto,né?
Até já me perguntaram quantos quartos tinham na casa de fulano!! Pensa bem!!

De qq forma,seria bem melhor que guardassem suas opniões num momento tão feliz na vida dessas pessoas.

Tem gente que só sabe apontar o que elas não gostam sem lembrar de que nem sempre sua opinião foi solicitada e que talvez não sejam o centro da razão.

Já teve amigos que me disseram que eu não ia gostar de onde foram morar por saberem que eu e miha família não gostamos do referido local.
Mas então eu te pergunto; eu vou morar lá?Não!!
Então fico mesmo é MUITO feliz em ver nossos amigos se encontrando,escolhendo e morando onde querem.
Tem quem tem pressa em comprar,tem quem prefira esperar chegar o momento onde possa fazer como deseja.(Somos da turma da espera).

Eu sempre fui clara com minha experiência e meu gosto,mas jamais,repito,JAMAIS, penso que todos sentirão o mesmo pq se trata de mim e não do outro o que vai sentir no mesmo lugar onde eu me sinto mal ou bem.

Pode ser até que alguns amigos nossos curtissem viver aquí em Sept iIles,eu acho mais difícil pq as pessoas que conhecemos vieram de lugares mais povoados e com mais estrutura,porém alguém que veio de uma cidade ainda menor,sem cidades grandes em volta,pode até curtir sim,pq não??
As pessoas dessa cidade me parecem muito felizes por sinal.

Mas se tem uma coisa que está valendo dessa nossa experiência e que vai ajudar a mudar um pouco de nossas referências,é o frio que faz aquí,as dificuldades que temos em caminhar por não limparem as calçadas durante o inverno.

Quando estivermos de volta a Montreal,não irão ser qqs -15º que vai nos fazer bater queixos,reclamar do frio não.. acho até que o governo deveria ter um programa de imersão no norte por umas 2 semanas durante o inverno para que muitos aprendessem a dar valor às temperaturas até amenas que faz lá por baixo nessa época,hehe..

As calçadas então..em dezembro em Montreal,cheguei a ficar emocionada por poder caminhar numa bem larga e sem neve tranquilamente!
Isso para quem não passou pelo o que temos passado,é bobagem,nada mais. :)

Eu sei que decidí falar sobre isso pois fico sempre insegura em dar minha opinião sobre escolha de bairro e de escolas,mas.. volto a lembrar que continuo disponível para compartilhar minha experiência nesses assuntos para quem se identificar com nosso jeito de ser e de viver.

Era isso gente,queria mais uma vez deixar as coisas bem claras,como sempre foi do meu feitio.




10 comentários:

  1. Patinha!!!
    A forma como vc abordou esse assunto foi ótima, porque nem sempre oque é bom para mim é bom para vc ou qualquer outra pessoa...Lógico dicas são bem vindas pois quando chegamos em um país estranho necessitamos de um pouco de conhecimento, e com o tempo caminhamos com nossas próprias pernas...Lógico que nesse processo nem tudo são flores, pelo contrário temos muitas lutas a travar...Mas hoje voltando a Montreal me sinto sem aquele medo que eu tinha quando fui a primeira vez...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou! As vezes a gente pensa que escreveu como desejava e as pessoas entendem de outra forma. Fico feliz em ter dado meu recado como queria! Obrigada por deixar seu comentário!
      Já estão de volta? Vamos nos falando!!
      Bjs!!

      Excluir
  2. Nada como a experiencia! Excelente s colocações!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Brasilpolska!
      Abraço na família!
      :)

      Excluir
  3. ta muito certa. Cada um sabe onde aperta o calo e qual estilo de vida que quer ou pode levar.
    Eu me sentiria bem onde vc esta, passei 1 ano maravilhoso na micro cidade de Témiscaming, em Abitibi-Témiscamingue e quando digo isso a reaçao das pessoas em geral é de espanto. Como assim, uma paulista gostar de uma cidadezinha no meio do mato ? Pois é, amei. E os planos incluem morar no Bas-St-Laurent :-) tudo de bom esse interior quebeca ...
    morar em condo, casa velha, apartamento, casa de banlieue ... cada um tem um gosto, cada familia tem sua necessidade.
    Eu nao moro nem por decreto num demi SS, mas é uma opçao e muitos nao se incomodam. para mim o teto baixo é sufocante e a janela pela metade me deixa agoniada .... mas conheço pessoas que até preferem os demi-SS!
    morei no centre-ville de Montréal, fazia tudo a pé, até ir para o job. Esta vantagem eu nao tenho no meu cafofo atual, mas em compensaçao tenho uma vista magnifica e um contato bem proximo com a natureza, algo que aprendi a apreciar e nao posso mais viver sem ...

    cada um ira traçar o proprio perfil. Parabens pelo post, colocou os pingos nos *is*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá ''La vie est belle''.. sei bem como é um lugar assim como vc descreveu,já morei assim no Brasil,também gostava,era outro momento de nossas vidas,crianças pequenas,etc.. o probleminha daquí é nao ter verde,isso me incomoda muito sabe? amo a natureza e ficaria na boa aqui por esse ano se fosse assim. Mas não é infelizmente. Uma cidade pequena pra mim tem que ter cara de cidade pequena e nao de grande sem o charme das pequenas nem as facilidades das grandes,hehe... mas já vai passar e voltarei para uma bela rua cheia de árvores,com esquilos,gambás de filmes da Disney,marmotas,etc no meio dos amigos e dos lugares que amamos!
      O ideal é para quem ama a natureza como nós,poder viver com um pouco de cada sem nos violentarmos indo contra nossa natureza.
      Que bom que gostou da postagem! Bjs e desfrute de sua bela vista,amo belas vistas também!! :)
      Ps: moramos num basement e fiquei impressionada como não é ruim como pensava que fosse. Teto normal,janelas pequenas mas ensolaradas,até varanda eu tenho!! Mas chegar a preferir tem uma distãncia!!rsrs...

      Excluir
  4. Ótimo:)Vc tem toda razão! Se todos gostassem do amarelo o que seria das demais cores? Que mundo mais sem graça, imagine!!!
    Beijo!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Patinha,

    Não entendi quando tu dizes que não tem natureza ao redor de onde você mora... Sendo cidade pequena, a natureza não está por todo lado???
    Sobre o teu post, acho que é isso mesmo, tens que dar a real, pois há muita gente que usa blogs e comunidades buscando respostas imediatas, imaginando que a imigração é a solução para todos os seus problemas.
    Abraço,
    Fabrício (FCelso da CBQ) ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá meu amigo!! Era justamente o que eu pensava quando aceitamos esse emprego,que pelo menos teríamos mais contato com a natureza,mas infelizmente a população nao curte essas coisas aqui pois nao plantam arvores e logo a bicharada passa longe! Para ter contato com a natureza precisamos pegar o carro e estrada para fora da cidade,mesmo que por poucos kilometros tem essa função e um parque só para visitar mesmo assim. Sobre o post,obrigada! Sei que muitos nao gostam da forma que falo mas minha consciência dorme tranqüila e isso vale mais do que aplausos de colegas iludidos! Bj pra ti!!

      Excluir

A melhor resposta à calúnia é o silêncio. (Ben Jonson)